IBM FORUM 2011

Foi com muito prazer que aceitei o convite para cobrir o IBM Forum 2011.

Afinal quem não quer estar por dentro de tendências e inovações, endossadas por uma grande empresa como a IBM, e ainda debatidas por um público seleto?

O  5° IBM FORUM 2011 começou dia 24/08, no Expo Center Transamérica, em São Paulo, com o tema “Inovação que faz a Diferença”.

Comemorando 100 anos de existência, a IBM, empresa voltada para inovação e tecnologia, iniciou seu ciclo de palestras com Ricardo Pelegrini, presidente da IBM Brasil. Em sua apresentação, Pelegrini falou da realidade e do processo positivo em que estamos em nosso país, como oportunidade única, pois temos um mercado consumidor interno em potencial além de nossas importações estarem indo bem. Comentou ainda que o Brasil investe ainda apenas 0,5% do PIB em inovação, enquanto que países como Coréia e Japão, 2,5% e 2,9% respectivamente, ou seja, existe espaço crescente para a tecnologia. Pelegrini reforçou que o forum trata de “inovação que faz a diferença para a sociedade e setores públicos e privados”.

Em seguida, Don Tapscott abriu sua palestra: “Os impactos da tecnologia nas empresas e na sociedade”. Além de endossar o presidente da IBM Brasil, concentrou-se em dizer que Inovação é a central de tudo, e que essa é uma época de grandes oportunidades para o Brasil, tendo em vista 2 grandes eventos que em breve acontecerão aqui: Olimpíadas e Copa do Mundo. Comentou que essa é uma era de maior inteligência humana, de maior colaboração, mas que não é recente, e vem acontecendo há muito tempo, mas só agora é percebida; e que essa é também a época de compartilhar e ser transparente. Don também falou de realidade aumentada e de geolocalização, tecnologias que estarão cada vez mais presentes em nossas vidas.  É uma revolução social, econômica e também tecnológica, onde inovação não é opcional. Quem entender isso terá vantagem competitiva.

 

Erich Clementi, líder Global de serviços da IBM, falou sobre os 100 anos da empresa e que a mesma se reinventou, inovou e não ficou apenas conhecida como a empresa que fazia computadores. A IBM agregou reconhecimento à marca, que se desenvolveu através dos anos. Clementi ressaltou também que a inovação é o que importa,  e que o país está sendo impactado nesse momento pela economia global, e isso deve ser aproveitado, pois é agora que as oportunidades econômicas surgirão.

O Centro de Operações do Rio de Janeiro foi inaugurado em 2011, segundo Erich, e vem auxiliar no gerenciamento e prevenção à segurança e infra-estrutura da cidade, com a intenção de combater enchentes e deslizamentos. E segundo ele, as tendências e soluções para projetos inovadores dos próximos 100 anos, virão das universidades, das empresas e do governo.

Ricardo Gomez, Líder de Serviços  de Consultoria IBM para a América Latina, moderou o painel com os CEOS das empresas: Artur Grynbaum – O Boticário; Britaldo Soares – AES Eletropaulo; Eneas Pestana – Grupo Pão de Açúcar e Luiz Carlos Trabuco – Bradesco, debatendo sobre o crescimento da economia e do mercado interno. Todos concordaram que o país ainda tem muitos problemas como: nível de informalidade no varejo altíssima e a falta de mão-de-obra qualificada. Estes problemas fazem parte do compromisso dos empresariados, que tem que realizar investimentos para diminuir esse gap. Lógico que o tema inovação também não ficou de fora, e foi debatido voltado para o segmento de varejo e serviços, mas ainda é algo cuja disponibilidade para o consumidor final ainda é cara (chips, automação RFID, entre outros.)
Na parte da tarde, o evento apresentou palestras em 05 salas simultâneas com assuntos diferentes, como Soluções para seguradoras, Cidades mais inteligentes, Soluções para varejo, Soluções para manufatura e Soluções de negócio e tecnologia. Desdobradas, continham desde Cases de sucesso, sistemas de TI, soluções de software, passando por redes sociais corporativas e e-commerce.