Teste: Ford Focus Hatch 2016 ganha design mundial e ainda mais tecnologia

O novo Ford Focus Hatch ficou ainda mais bonito depois que a empresa resolveu unificar a sua versão nacional para o desenho mundial do modelo. Já havia testado o modelo em 2014 e gostei muito do carro. A nova edição, além do “facelift” na dianteira e traseira, ganhou também novas tecnologias de segurança e ainda mais facilidade na hora de estacionar.

Testei o modelo top de linha, o Ford Focus Titanium Plus 2.0 AT. A versão sai da fábrica com o assistente de frenagem automático, que evita a colisão em velocidades até 20 km/h e reduz de forma significativa o impacto a até 50 km/h. Outro item que surpreende é o sistema de estacionamento automático de nova geração, que funciona em vagas tradicionais de balizas e as de 90 graus dos shoppings. A segurança na direção é ampliada também com os faróis bi-xenon adaptativos, que ajustam a iluminação de acordo com o trajeto – explico: por exemplo em uma curva fechada o farol segue o volante, trazendo mais iluminação e segurança ao ampliar o ângulo da luz. Os itens de série desde as versões mais “básicas” já contam com controle de estabilidade, tração, de partida em rampas que mantém os freios do veículo acionados em subidas, facilitando a partida e o sistema de conectividade, Sync.

A photo posted by Rodrigo Bastos (@bigdigo) on


Não podia esquecer de mencionar outros dois pequenos detalhes, que fazem uma grande diferença na definição da compra do novo carro. Você, sua esposa, ou seu irmão têm o costume de calibrar os pneus? Esqueça esse problema. O Focus conta com o aviso de pressão Baixa dos Pneus (DDS), com ele, fica mais fácil saber quando é a hora certa para fazê-lo. E o retrovisor traseiro com antiofuscamento, é um dos pontos mais interessantes do modelo, para quem dirige muito e adora pegar a estrada. Com ele ligado, você pode esquecer o problema dos “malas” que andam com faróis altos acessos colados em sua traseira.

Direção:

O seu motor 2.0 de 178/175 cv com etanol/gasolina, agora, só conta com a opção da transmissão automatizada de seis velocidades e dupla embreagem, com possibilidade de trocas sequenciais de marchas no volante por meio de borboletas.

Depois de apertar o botão de partida sem chave, o motor 2.0 com 178 cv e 22,5 kgfm dão conta com muito fôlego em subidas e ganha pontos positivos na hora da diversão, quando o câmbio é trocado para o modo Sport. Nessa hora, o propulsor trabalha em giros mais altos e fica mais sensível às cutucadas no pedal do acelerador e claro, as borboletas do volante entram em jogo.

Além disso, o isolamento acústico foi melhorado, e tanto o volante quanto os comandos internos ganharam novo design. A dirigibilidade foi aprimorada e com maior firmeza e segurança. Outra boa melhoria são as suspensões, que filtram bem as imperfeições do solo e garantem que todos os passageiros sintam ainda mais conforto.

Tecnologias:

O Sync AppLink, sistema de conectividade da Ford, permite acessar, por comando de voz, os aplicativos do seu smartphone compatíveis com o sistema. É mais prático e mais seguro – você acessa seus apps como Spotify, Guia UOL, Glympse, Lets Park e Bradesco, entre outros, sem tirar as mãos do volante e os olhos da estrada. Mas entre os recursos mais impressionantes do SYNC AppLink está a assistência de emergência. Este sistema ajuda a fazer uma chamada para o 192 – SAMU quando acontece uma colisão que ative os airbags ou que ocasione o corte de combustível do carro (em batidas traseiras). Basta que o smartphone esteja emparelhado ao SYNC AppLink. E o SAMU ainda tem acesso à localização, em coordenadas, do acidente.

Itens de série da versão top de linha testado. As rodas de liga leve de 17 polegadas, controle eletrônico de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, controle de torque em curvas, monitor de pressão dos pneus, ABS com EBD, airbags frontais, laterais e de cortina, ar-condicionado digital dual zone, computador de bordo, direção e trio elétricos, sistema multimídia com GPS e tela de oito polegadas, faróis de neblina, acendimento automático dos faróis, espelho retrovisor eletrocrômico, sensor de chuva, bancos revestidos em couro, sensor de estacionamento traseiro, controle de velocidade de cruzeiro, limitador de velocidade, chave com sensor de presença e partida do motor por botão, comandos de voz para áudio, telefone, navegador e ar-condicionado, som premium da Sony com nove alto-falantes, assistente de frenagem autônomo, faróis bi-xenon adaptativos, regulagem automática de altura dos faróis, sistema de estacionamento automático, retrovisores externos com luz de aproximação, desembaçador e rebatimento elétrico, banco do motorista com ajuste elétrico em seis posições e ajuste lombar e teto solar elétrico.

Atualmente, o Focus é o único carro do segmento a oferecer um conjunto de itens tão parrudo na faixa dos R$ 100 mil. Enquanto alguns rivais não são tão avançados, outros cobram extremamente caro pelos mesmos itens listados do modelo.

Confira o vídeo que mostra como funciona o novo sistema de estacionamento automático ou “Park Assist 2.0”, a frenagem automática no trânsito e o funcionamento dos faróis bi-xenon na prática:

*Testei o park assist em uma vaga do Shopping da Gávea, mas confesso que não tive coragem de testar a frenagem automática no meio do trânsito. Quando fui devolver o veículo pedi uma ajudinha do pessoal da concessionária Superfor. Confira o vídeo próprio dos testes abaixo:

Consumo:

O modelo testado com motor 2.0 fez em média 8,5 km/l (com etanol na cidade), infelizmente desta vez não consegui pegar uma estrada para checar o consumo com a gasolina.

Preços e versões:

A Ford acertou em cheio, ao oferecer 15% de desconto para os donos de Focus dos modelos antigos, trocarem seus carros pela esta nova versão – não é nada, não é nada, já é alguma coisa.

  • SE 1.6 – R$ 69.900;
  • SE Plus 1.6 – R$ 75.900;
  • SE Plus 2.0 – R$ 83.500;
  • Titanium 2.0 – R$ 91.500;
  • Titanium Plus 2.0 – R$ 100.900 (modelo testado).

Ficha técnica: 

  • Motor: 4 cilindros em linha, 16V, comando variável, injeção direta
  • Cilindrada: 1999 cm3
  • Combustível: Flex
  • Potência: 175 cv a 6.500 rpm (g) e 178 cv a 6.500 rpm (e);
  • Torque: 21,5 kgfm a 4.500 rpm (g) e 22,5 kgfm a 4.500 rpm (e);
  • Câmbio: automatizado, dupla embreagem, seis marchas;
  • Tração: dianteira;
  • Direção: elétrica;
  • Dimensões: 4,360 m (c), 1,823 m (l), 1,469 m (a);
  • Entre-eixos: 2,648 m;
  • Pneus: 225/50 R17;
  • Porta-malas: 316 litros;
  • Tanque: 55 litros;
  • Peso: 1.399 kg 0-100 km/h: 9,7 segundos;
  • Velocidade máxima: não divulgada.